13 de jan de 2010

Instumental.CE realiza 9 shows a partir desta quinta


Um novo festival se soma ao calendário de eventos musicais. Com nove shows de artistas cearenses, o I Ceará Instrumental acontece de amanhã a sábado

Se os espaços para a música instrumental poderiam ser mais numerosos e constantes na noite de Fortaleza, o calendário de eventos voltados para esse universo musical vem ganhando reforços nos últimos tempos. Como principal destaque, o Festival Jazz & Blues de Guaramiranga segue atraindo um público fiel a cada carnaval na serra, com uma costumeira sequencia na capital. O Centro Cultural Banco do Nordeste também promove seu festival instrumental, além de shows semanais reservados para o jazz, o erudito e o instrumental brasileiro. Mesmo também passando pelo canto, ps festivais Música na Ibiapaba e Mel, Chorinho e Cachaça, ambos realizados em Viçosa do Ceará, também abrem generosos espaços para a música da improvisação. E, em dezembro do ano passado, o Choro Jazz Jericoacoara se somou a esse leque de opções.

Além desses e de outros eventos, a cena instrumental cearense conta com um novo festival, a partir deste janeiro. Tem início amanhã o I Ceará Instrumental. Até sábado, serão nove shows, todos com músicos cearenses, reunindo diferentes formações e estilos, sempre no anfiteatro, a partir das 20 horas, com entrada franca.

Segundo os organizadores, o festival surge como uma alternativa, em um contexto em que chama atenção o contraste entre o Ceará vendido como a "terra do forró" e o grande número de instrumentistas dedicados a outros gêneros musicais, muitas vezes sem tantos canais de contato com o público.

"O festival vem pra isso, pra ter foco no instrumentista cearense, criar espaço pra esses músicos, que são muito bons, precisam ser mais conhecidos. E ainda não contavam com um evento exclusivo para eles", ressalta Vânia Ribeiro, da Indica Comunicação e Eventos, realizadora do festival, que conta com patrocínio do Governo do Estado e apoio do Centro Dragão do Mar. "Por isso fizemos questão de ter uma programação toda com músicos cearenses. Nas próximas edições, podemos até ter algum músico de fora, mas convidado, tocando junto com um instrumentista daqui", cogita, já adiantando a disposição de assegurar que o evento se repita, sempre na primeira quinzena de janeiro.

Do evento ao movimento

Trabalhando com música instrumental desde a primeira metade dos anos 90, quando tocava o Absoluto Bar, no Morro Santa Teresinha, Vânia Ribeiro, que também já atuou na produção do Festival de Guaramiranga, afirma que o novo evento pretende, além de reunir um público numeroso nas três noites, contribuir para o crescimento da cena, ao longo do ano. "Nosso objetivo, na verdade, é começar um movimento junto com os instrumentistas, fortalecer essa cena no Estado, ir além do evento. Trabalhar a música instrumental durante todo o ano. O Ceará Instrumental acontecendo como um grande encontro final dessa movimentação", sugere, destacando a cooperação dos músicos. "Todos os artistas que estão nessa primeira programação, e outros músicos também, compreenderam e abraçaram a ideia, estão realmente fazendo o festival junto com a gente. Assim como o pessoal do som e da luz, o Dragão do Mar. Todos estão dando esse apoio ao projeto".

Para a produtora, o cenário da música instrumental alterna bons períodos e épocas de entressafra, quanto aos espaços abertos para shows mais frequentes, na capital cearense, "O Festival Jazz & Blues deu uma grande incrementada nesse mercado de Fortaleza, muitas casas passaram a oferecer jazz, blues, instrumental... Depois isso foi dando uma esfriada. Mas o principal, que é o público, nunca deixou de existir. Por isso estamos apostando forte no festival e no que surgir a partir dele".

Entre os destaques da programação, uma homenagem ao violonista Manassés de Sousa, se apresenta no sábado, assim como o baixista Nélio Costa e a dupla de tecladistas-acordeonistas Italo Almeida e Renno Saraiva. Já amanhã acontece a abertura do evento, com os metais da Assaré Band (com nada menos que 18 integrantes, arregimentados pelo saxofonista Ferreira Jr.), o baixista e compositor Aroldo Araújo e o violonista e bandolinista Carlinhos Patriolino. Na sexta, palco para o som autoral da Marimbanda e do Projeto Timbral, além do violão do jovem Cainã Cavalcante. Sons do novo festival.

PROGRAMAÇÃO

Quinta, 14/1
Assaré Band
Aroldo Araújo
Carlinhos Patriolino

Sexta, 15/1
Marimbanda
Cainã Cavalcante
Timbral

Sábado, 16/1
Nélio Costa
Manasses de Sousa
Ítalo & Renno

Todos os shows começam às 20 horas, no Anfiteatro do Dragão do Mar, e têm entrada franca (ingressos distribuídos a partir de 18h, na bilheteria do Espaço Mix, perto do planetário). Contatos: 3246-3402

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário