26 de set de 2010

Expomusic 2010 - Minhas impressões

Aconteceu na capital paulista entre os dias 22 a 26 a Feira Internacional da Música, conhecida pelo nome de Expomusic. A edição deste ano contou com a presença de várias marcas no setor de áudio, instrumentos e iluminação. Realizada na Expo Center Norte, a tradicional Feira mostrou-se forte e uma excelente oportunidade de negócios.


Freqüentei a exposição nos dias 22, 23 e 24, destinados aos profissionais da área. Gostei muito das novidades expostas e gostaria de destacar algumas aqui. Considero o Stand da Yamaha o mais completo e de melhor atendimento aos interessados. De todos os setores da Yamaha Musical, o de áudio realmente foi quem chamou atenção.
O expert dos produtos de áudio da empresa, Aldo Linhares. mostrou o novo console M7CL ES48, que trabalha com protocolo digital Ethernet através do Stage Box. Neste novo console também é possível se gravar trilhas referentes aos canais em separado através de softwares como o conhecido Nuendo. Outra novidade está nos insert´s que poderão ser feitos através de plugins da Waves dentro do sistema operacional proprietário da mesa. O stand contava com um local para pocket shows e as demonstrações eram feitas numa espécie de house mix de PA/Monitor.


A Staner trouxe como lançamento seu novo Line Array que sequer consta no site oficial da empresa (Sky 312 Pro). Duas peças estavam montadas no stand e quem passou por lá pode conferir a qualidade sonora deste novo sistema em Neodímio montado em 3 vias com DSP interno. A caixa conta com dois driver´s de 3”, quatro falantes de 6” e dois falantes de 12”.
O representante da empresa no Ceará, Adil Paixão e Renato Silva(foto acima), proprietário da Staner, estavam radiantes com o futuro da empresa. Apesar de o produto estar exposto, o mesmo parece ter alguns segredos que deverão ser conhecidos em breve. Mas acredito muito na parceria da empresa com a Clair Brothers. Com certeza esse novo sistema deverá causar uma excelente impressão não só no país como fora também.

(Mário Jorge, Rossy e Kalunga)

A Avid, dentro do stand da Quanta deixou em exposição seu console recém lançado, a SC 48. Personalidades e experts do produto no país estiveram no stand dando explicações sobre os produtos da Avid, tão comentados nos últimos tempos. Destaco a presença da Victor Pelúcia, Mário Jorge, Raul Barroso e Kalunga. Na oportunidade pude comentar um pouco sobre o workshop que acontecerá em Fortaleza no próximo dia 4, onde serão apresentadas com mais detalhes as superfícies de controle da Avid. Foi bacana conhecer Kalunga de quem sou fã.

A Roland, também com um stand bem interativo para seus clientes, colocou muitos dos seus equipamentos para testes. Baterias eletrônicas, teclados e principalmente os consoles V-Mixer 300 e 400, outrora citados aqui no blog como poderosas ferramentas de mixagem de áudio ao vivo.

A Triple Onda, empresa espanhola, demonstrou seu pequeno sistema ativo de caixa com 2 falantes de 6 polegadas e driver (Top 26 A). O pequeno sistema impressionou pela qualidade potência, deixando muita gente satisfeita com a reprodução sonora do pequeno gabinete. Afora este pequeno sistema, a empresa demonstrou seu Line Array XLA V2 e Sub SLA 118A.

Houve ainda bem, alguns momentos que gostei do que vi na feira. Principalmente no final do dia, onde alguns PA´s eram ligados. A Electro-Voive(EV) foi quem me surpreendeu com seu sistema de Line Array XLC127DVX. A caixa tem cobertura horizontal de 120º e realmente pude comprovar sua eficácia. O sistema estava recebendo o sinal de áudio de nada mais na da menos do que uma Midas Pro6.

Gostaria de citar que esperava mais preparo dos expositores da PRIDE, no que se refere aos produtos da Shure. Estive testando o PSM 900, e fiz uma pergunta para um representante do stand sobre o equipamento, que além de não saber responder, ele sequer foi atrás da informação com outro companheiro mais experiente, ou até mesmo um responsável da Shure no stand. Perguntei se o Ear-monitor estava trabalhando com algum tipo de limiter, pois não via variação de volume no aparelho. Tive que tirar minha dúvida sozinho, manuseando o aparelho. Lamento e espero que a PRIDE reveja este ponto em uma outra ocasião.

Outro caso que me deixou intrigado foi o esquecimento quanto ao falecimento do Eng. Solón do Valle, ocorrido no dia 11 de Setembro deste ano. Não vi nenhuma homenagem ou lembrança deste profissional que tanto serviu no áudio brasileiro. Nem mesmo no stand da revista que costumava escrever. Gostaria de ouvir ou ler alguma explicação sobre isso. Prova que esta exposição só visa realmente os negócios. Acho também que a classe técnica poderia ser vista de uma forma mais cuidadosa pelas empresas do ramo.

Lógico que andei e vi com muito cuidado todos os equipamentos de áudio que me interessavam e ficaria muito difícil citar todos aqui no blog. Espero que consiga dizimar alguns destaques da Feira aqui no blog nos próximos post´s.

Nenhum comentário:

Postar um comentário