27 de jul de 2009

Roberto Carlos 50 anos - Maracanã

Gostaria de ter visto de perto a estrutura usada no show de Roberto Carlos no Maracanã em comemoração aos 50 anos de carreira. Acompanhei um show do Roberto Carlos em minha cidade e foi algo inesquecível. Estava em Sobral esperando sair para um show em uma cidade vizinha e acompanhei boa parte do show em um telão montado em uma churrascaria. Prometi aos amigos que estavam comigo que buscaria informações técnicas sobre o show e aí estão...

Vamos degustar de toda parafernalha usada nesse grande espetáculo. O artigo foi retirado do site Monitorland.

A chuva bem que tentou estragar o evento, mas um pouco mais de 80 mil pessoas não arredaram o pé do Maracanã para homenagear o REI, Roberto Carlos num evento grandioso tudo foi cuidadosamente planejado para uma grande festa, menos São Pedro, ou digamos ele achou um jeito de também homenagear o rei. Num show de quase duas horas o rei fez o que faz de melhor cantar e encantar a platéia.

Vamos saber um pouco dos bastidores deste evento pelo lado do Backstage.

roberto


O sistema de PA

O P.A L e R, tinha 6 Kudo por lado fly no teto do palco eram pra ser 9 por lado mais sempre eles dão preferência para o cenário. Os powers eram 1 rack de Labgruppen 7000 por lado , o LL eo RR era com Vdosc, 15 elementos por lado os powers eram 3 racks Labgruppen 6400 por lado, 2 sinais separados para o sub que colocamos em baixo do P.A 6 subs 700-Hp Meyer cardióide e na frente do palco mais 12 subs 700 hp também montamos eles cardióides. Os 2 subs na frente do Rei Roberto Carlos, invertemos para cancelar o grave no palco o sistema de subs tinha 5 sinais separados , em cima do subs na frente do palco colocamos 6 CQ2 Meyer para fazer o front fill com 3 sinais separados, ligamos as as caixas aos pares.

O sistema de Delay
Foi posicionado como se fosse um circulo em volta do campo a 1º
torre ficou a uns 20 metros para frente do P.A a 2º a 40 metros,3º a 90 metros e a 4º torre de delay ficou a 110 metros no total era 4 torres por lado as caixas utilizadas foram as Norton Sl4 com 12 elementos cada torre tinha 1 rack power Labgruppen 10.000 , os racks de delay foram montados na 3º torre com uma central de AC. e racks ,na 4º torre foram colocados 3 subs 700 Hp Meyer para dar uma reforçada nas baixas freqüências ,como a distancia era muito longa e no show não se tem muito grave por que o Rei não gosta usamos este complemento para manter a resposta do sistema consistente mesmo longe do PA principal. Para mixar o sistema o Flavio Senna usou uma Venue Digidesign com dois stage racks para fazer 56 canais ele também usou uma Lexicom 480 para fazer os efeitos .
No drive rack como já é padrão na GABISOM tinha 2 Dolby Lake , foram usados’s 4 Lake para todo o processamento do sistema .

Monitor por Silvinho
Para mixar o monitor usei uma Digico5, para fazer as 36 vias de monitores, sendo que só o Rei Roberto Carlos usa 6 vias sendo elas: 2
monitores Clair na frente ,2 monitores JBL nas laterais e mais 2 Clair no
fundo , mais 1 in ear stereo. O side era composto de 4 Vertec 4889
por lado. Para os músicos da banda também usados monitores Clair e in ears. O input foi de 56 canais e ainda mais uma LS 9 Yamaha para mixar uma pequenas orquestra de cordas com 20 canais sendo que desta, saia 4 sinais: 1° violinos, 2° violinos, violas e cellos, para todos(P.A, Monitor e U.M.).
Foram usados 5 microfones sem fio SHURE UHF R para os convidados, apresentadores da Globo e um microfone lapela para comunicação interna, do maestro com os músicos. Tivemos muitos problemas com RF, pois a toda hora tínhamos que fazer um SCAN de freqüências, porque a todo momento tínhamos interferência no sinal. Para fazer a varredura de freqüências usei o software Workbench da Shure. Os In Ears usamos 6 PSM 600, 2 PSM 700 e 5 Sennheiser EW 300, este aparelhos foram escaneados todos os dias, para ter a certeza de que não teríamos problemas com nenhuma interferência de sinal nos ouvidos dos artistas e músicos.Todos estes aparelhos de in ears eram ligados com booster de RF e com antenas passivas de polarização circular. Durante todo show não tivemos qualquer problema de RF, correu tudo como nós desejávamos.

Neste evento a Gabisom estreou a sua nova unidade móvel de gravação a nova U.M. com 96 canais foi montada num caminhão que já pertencia a locadora , o veiculo foi todo reformado para atender qualquer tipo de trabalho de gravação o Manoel Tavares foi quem estreou a nova U.M vamos ver o que ele achou do novo equipamento e aproveitar para falar também deste evento grandioso.

Transmissão pra TV por Manoel Tavares

Foi uma coisa indescritível vou conter a emoção pra falar sobre a parte técnica, tive o prazer de estrear a nova UM da Gabisom, tudo novinho, material de primeira vejam só o equipamento da U.M.:

- 01 Digidesign D-Show;
- 96 In e 96 out’s;
- 72 canais de input sendo destes 12 para ambientes;
- 1 unidade de KT para distribuição de canais para UMV-TVG;
- Monitores Digitais Dynaudio;
- 96 canais de Protools Titular e Stand By;

Aprovada para qualquer evento, com flexibilidade e conforto.

Vale a pena ressaltar que foi para mim também uma oportunidade de conhecer melhor o Flávio Senna. Criterioso e responsável soube conduzir com maestria a parte que lhe coube. Atencioso e educado, sempre disposto a uma boa troca de informações.

A captação de ambiente foi feita assim:

- 4 Mics MKH 60 posicionados perto do side fill;
- 6 Mics KM 184 posicionados atrás do front fill;
- 1 Mic Stereo VP 88 posicionado na house do PA.(Foi o único que perdi quando começou a chover forte).
A Banda do RC recebeu um reforço de cordas e metais para o evento.As cordas foram pré mixadas em uma LS9 pelo Silvinho e endereçadas para o PA e a UMA.

Agora deixando a técnica de lado, vou falar da emoção de participar de um evento deste porte.
Foi bem assim:

- Logo no inicio na UM todos nervosos. A Direção pedindo ambiente o tempo todo e Eu dizendo que o público não reagia (estavam extasiados com a grandiosidade do evento)… Mas Deus é Sonoplasta, ao menos para quem trabalha em Tv.
Foi para mim uma honra e um prazer de trabalhar em um evento que definitivamente entrou para a história da MPB.
Completar 50 anos de carreira já seria o suficiente para qualquer artista, ainda mais assim comemorados no Maracanã, e com casa cheia, inclusive de água(chuva). Foi máximo.

Sem contar que estamos falando de Roberto Carlos… Existem aqueles que gostam e aqueles que não gostam, como em tudo na vida.
Sem dúvida no mínimo é uma pessoa admirável. .

Quem mais conseguiria consegue depois de tanta emoção junto ao parceiro e amigo Erasmo Carlos voltar no tom certinho da música??? Puro profissionalismo.
Ainda estou “nas nuvens” com a experiência…

Não sei quantos milhões de pessoas assistiram a transmissão e quantos ainda irão assistir. Foi uma das maiores responsabilidades imputadas a mim durante toda minha vida profissional.

Equipe de técnicos e profissionais que trabalharam o evento:
Técnico de PA: Flavio Sena ( Roberto Carlos

Tec. Monitor: Silvinho ( Roberto Carlos )

Stage Manager: Genival Barros ( Roberto Carlos )
Equipe da Gabisom:

P.A: Peter Racy e Zito

Monitor: Cardoso e Deny

Distribuição de A.C: Ratão

Distribuição de sinais PA e Delays: Cascão
U.M. e Palco: Marcão e Wagner

Apoio Técnico: Saulo e Pedro Ivo

Riggers: Magrão e Pedro

Agradecimentos aos profissionais que ajudaram nas informações deste artigo.
Marcone Cascão pela Gabisom
Silvinho Tec de Monitor do Roberto Carlos
Manoel Tavares pela TV Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário